Edição: 11950 Data: 24/02/2017

Editorial - Editorial

Fica como está

24/02/2017


Como acontece em todo final de fevereiro, a Secretaria da Receita Federal está apresentando todas as informações a respeito da declaração do Imposto de Renda que deverá ser apresentada pelos contribuintes no período de 2 de março a 28 de abril. Sempre procurando aperfeiçoar os mecanismos de envio dos dados, a Receita está adiantando que neste ano os declarantes só precisarão baixar num programa, em vez dos dois habituais, para prestar contas com o Governo. Até aí, tudo bem. Louve-se o fato da Receita Federal procurar se adaptar aos mais avançados mecanismos da informática para facilitar o trabalho dos contribuintes. Agora o que causa estranheza, é por que a tabela do IR não sofreu correção, novamente, para repor, pelo menos, a inflação. As deduções de educação e de dependentes ficaram congeladas. E na faixa de isenção do imposto e o desconto da declaração simplificada, também não foram modificados. Será que nenhum político não atentou ainda para este fato, de que a atualização dessa tabela do IR fica a critério da Receita Federal ou do Governo? Será que não existe uma obrigação legal de reajustá-la anualmente? Se inexiste, por que até hoje, nenhum deputado ou senador atentou-se para o problema?