Edição: 11971 Data: 29/03/2017

Editorial - Editorial

Efeito retardado

29/03/2017


Quando o governo anunciou a liberação do dinheiro que encontrava-se retido no Fundo de Garantia, através de contas inativas, a maioria dos empresários garcenses, principalmente os dos setores de comércio e serviços, passou a aguardar uma melhoria substancial na movimentação diária. A primeira parcela desse dinheiro já foi paga, mas os efeitos esperados não aconteceram na intensidade prevista. O que leva a crer, que a maior parte desses recursos foi direcionada para a quitação de velhas dívidas. Resta aguardar pelo pagamento das próximas cotas, para que o dinheiro oriundo do FGTS possa dinamizar e acelerar o movimento, principalmente do comércio local. Mesmo que muitas pessoas tenham utilizado essa grana extra, para pagar contas atrasadas, de qualquer forma o montante do dinheiro que gira na cidade, sofreu uma elevação. Logo, de forma indireta, dentro de mais algum tempo, sentiremos os efeitos dessa melhoria no sistema financeiro. Afinal, nem sempre a economia reage na velocidade que todos nós desejamos.