Edição: 12028 Data: 23/06/2017

Notícias - Veículos

COMARCA MOTOR - Paixão pelo Fusca

08/08/2015 -


Aline diz que se tudo correr bem, quer usar o Fusca para levá-la ao altar



"Propostas para vender o Jujuba têm bastante, mas não vendo"

O carrinho da Volkswagen com traços arredondados, com um motor e lataria invejáveis que marcou época há alguns anos, continua fazendo parte da vida e de alguns lares brasileiros e garcenses.

A motorista e apaixonada pelo Fusca, a garcense Aline de Lima Abido é proprietária do Fusca do ano de 1978, motor 1300, cor verde e com um apelido carinhoso de Jujubinha. Ela, que usa diariamente seu carrinho para ir ao trabalho, nos respondeu algumas perguntas sobre este amor pelo VW Fusca.

Comarca Motor: Por que esse amor pelo Fusca? Como surgiu esse amor?

Aline: É difícil explicar o amor que sinto por Fusca, sou loucamente apaixonada pelo Jujuba em especial, mas não aguento, quando vejo um fusquinha conservado fico doida; por diversas vezes já pensei em trocar de Fusca, mas definitivamente não me vejo com outro.

Quando fiz 18 anos, meu pai me deu o Jujubinha de presente, e ele está comigo desde então, e isso já faz 5 anos. Pode parecer exagero, mas as pessoas já me perguntaram se queria vender em sinaleiro, tocaram o interfone de casa, já foram várias as ocasiões. Posso ter outro carro, mas vender o Jujuba só se eu estiver em uma situação que me levasse ao desespero mesmo.



Comarca Motor: Ele é o seu primeiro Fusca?

Aline: Meu sim, meu pai já teve vários, mas o meu é o primeiro.



Comarca Motor: Você faz parte de algum grupo?

Aline: Não. Curti algumas páginas relacionadas ao assunto no Facebook, mas participar de grupo e trocar ideias, não.



Comarca Motor: Nós sabemos que hoje, diante de tantas necessidades eminentes, o Fusca é tido como um carro “defasado”. Você concorda?

Aline: Não concordo, é um carro comum como qualquer outro, mas só concorda comigo quem tem um Fusca. Não sei se sou eu, mas tenho um carinho muito especial pelo meu carro, um sentimento assim de gratidão mesmo. Por ser um carro mais antigo, ele requer um pouco mais de cuidado, mesmo sendo mais resistente, mas vejo Fusca como qualquer outro carro. Aliás, não é não. Fusca hoje em dia é relíquia.



Comarca Motor: Você tem algum projeto para ele, como reformar, pintar?

Aline: Em dezembro de 2016, eu me caso e se tudo andar como planejado, o Jujuba vai passar por uma reforma, e no dia do meu casamento vou dirigindo meu carro para o casamento sabe, como filmes antigos com latinhas penduradas, escrito recém-casados! É o meu sonho! Eu penso assim: ele me leva pra onde eu quero, por que em um dos dias mais importantes da minha vida vou troca-lo por outro carro? Não posso! Devo isso a ele, ele vai vivenciar esse dia comigo.



Comarca Motor: Algum motivo especial te levou a adquirir este Fusca?

Aline: Foi um presente escolhido com carinho pelo meu pai Marcos.  


Mais Notícias