Edição: 11946 Data: 18/02/2017

Variedades -

Semana de 7 a 13 de janeiro de 1977

07/01/2017

A foto é de 2 de janeiro de 1941, portante há 76 anos e mostra a torre da antiga Estação Rodoviária que na época tinha poucos anos de funcionamento. Observe-se que na parte térrea da torre existia um posto de abastecimento de veículos, com três bombas laterais e logo acima, displays com o nome Atlas, que era uma marca de pneus. Após o incêndio que destruiu grande parte do terminal, o posto deixou de funcionar e foi substituído por um ponto comercial.
Iniciamos agora o nosso mergulho semanal no Túnel do Tempo, relembrando os principais acontecimentos ocorridos em nossa cidade, na semana de 7 a 13 de janeiro de 1977, há 40 anos, graças a pesquisas efetuadas nos arquivos de “Comarca de Garça”.
O presidente do Conselho Deliberativo do Garça Tênis Clube, dr. Jathyr Mafud, marcava para o dia 28 de janeiro, a realização da Assembleia Geral Extraordinária para deliberar sobre a majoração nas mensalidades e joias, aprovadas recentemente pelo Conselho. Um grupo de associados não concordou com os índices aprovados e enviou abaixo-assinado ao Conselho Deliberativo, contendo 378 assinaturas, para que o aumento fosse revisto, o que seria discutido na assembleia do dia 28.
O Serviço Autônomo de Águas e Esgotos divulgava estatística relacionada a trabalhos realizados durante o ano de 1976. No período, o SAAE implantou 6.005 metros de rede distribuidora de água, sendo que uma das derivações atingiu as instalações da Sociedade Hípica, na estrada para Alvinlândia. Construiu ainda 4.273 metros lineares de rede de esgotos, 28,63% a mais do que em 1975. Foram beneficiadas ruas das vilas Hilmar Machado, Cotait e Araceli.
O presidente da Associação Comercial de São Paulo, o engenheiro Paulo Salim Maluf, visitava a cidade no dia 7 de janeiro, sendo recepcionado na sede da ACIG, pelo seu presidente, vereador Luiz Carlos Beline e ainda pelo prefeito Pedro Valentim Fernandes, o prefeito eleito Francisco de Assis Bosquê e o presidente da Câmara, Paulo Renato Alves de Souza, além de vereadores e diretores da ACIG. Ao saudar as autoridades garcenses, Maluf começou abordando a economia nacional, reafirmando sua fé nos destinos do País. Parabenizou a seguir os integrantes da Arena, pela vitória alcançada nas urnas e ao responder a uma pergunta sobre suas pretensões políticas, esquivou-se de anunciar candidatura a qualquer cargo eletivo, já que a eleição para governador ainda estava bem distante, pois o atual governador havia completado apenas um ano e nove meses de mandato. Encerrando a visita, o presidente da ACIG, Luiz Carlos Beline, declarava que havia feito algumas reivindicações ao presidente Paulo Maluf, da Associação Comercial de São Paulo, aguardando a concretização de todas, a fim de dinamizar ainda mais as atividades do comércio e indústria garcenses.
O SOS – Serviço de Obras Sociais finalizava o ano de 1976 prestando um eficiente trabalho assistencial às famílias carentes da cidade, assim como a pessoas indigentes itinerantes (andarilhos). Só em dezembro foram distribuídos 1.366 pratos de sopa, 300 quilos de arroz, 120 quilos de açúcar, 100 quilos de farinha de mandioca, 50 quilos de macarrão, 80 litros de óleo, 80 quilos de sal, 15 litros de leite em pó e 190 pedaços de sabão.
Frigus e Ipiranga decidiriam, em um único jogo na tarde de 16 de janeiro, o título de campeão amador garcense de 1976. O Frigus terminou a fase de classificação em primeiro lugar, após vencer o Ipiranga por 2 a 1, no dia 9 de janeiro. O Ipiranga chegou em segundo lugar e foi o outro finalista da grande competição do futebol amador garcense da temporada de 76.
O prefeito eleito Francisco de Assis Bosquê planejava uma reunião com os futuros vereadores, para expor alguns pontos importantes de sua administração. O principal assunto a ser focalizado nesse encontro seria o asfaltamento da estrada Garça-Álvaro de Carvalho. Assis Bosquê adiantava que teria encontrado uma fórmula para resolver o problema. E essa previsão, felizmente acabou se concretizando.
A Federação Paulista de Futebol enviava telegrama ao Garça Futebol Clube, requisitando o Estádio Municipal Frederico Platzeck para o dia 27 de fevereiro, a fim de realizar o jogo entre Dracena e Lemense. As duas equipes eram finalistas do Campeonato da Segunda Divisão de Profissionais. Segundo critério estabelecido pela Federação, os jogos decisivos aconteceriam em campo neutro. Garça foi escolhida por ficar na metade do caminho entre Dracena e Leme.
Caixa Econômica Federal, através da sua filial em São Paulo, abria licitação para a contratação das obras de construção do prédio para as novas instalações da agência de Garça, em terreno de sua propriedade à Rua Barão do Rio Branco 161-167. As propostas das empresas interessadas seriam recebidas até às 10 horas do dia 17 de fevereiro de 1977.
Presidente da Câmara Municipal, Paulo Renato Alves de Souza, convocava três sessões extraordinárias para o dia 17 de janeiro, com a finalidade de deliberar sobre dois projetos de lei instituindo abono provisório de 10%, a partir de 1º de janeiro de 1977, para os funcionários da Prefeitura e da Câmara Municipal.
Durante o ano de 1976 foram licenciados no município 3.930 veículos automotores, o que na época representava uma média de um carro para cada grupo de 8 pessoas.
A sugestão apresentava pelo vereador Mauro Mattos, propondo a entrega de terreno ao INPS (Instituto Nacional de Previdência Social), atual INSS, para a construção de sua agência, em troca da liquidação da dívida do município com a autarquia, foi bem acolhida pelo prefeito Pedro Valentim Fernandes. Em correspondência encaminhada ao presidente da Câmara, o prefeito informava que já havia oficiado o INPS sobre a modalidade proposta para a cessão do terreno com mais de 4 mil metros quadrados, na Faixa da Fepasa, anexando cópias da propositura do vereador Mauro Mattos. O município devia ao INPS, mais de 2 milhões de cruzeiros em recolhimentos atrasados, que mesmo sendo parcelados, sofriam correção monetária. Caso o instituto previdenciário aceitasse a proposta, a Prefeitura poderia liquidar a dívida, sem lançar mãos de novos recursos.
E o aproveitamento da área desocupada pelos trilhos da Fepasa, que havia sido desapropriada pela Prefeitura, era uma das preocupações do futuro prefeito Francisco de Assis Bosquê. Embora existisse um projeto de urbanização elaborado pelo arquiteto Max Ezagui, o mesmo que havia projetado o bosque, o lago e a Praça Rui Barbosa, Assis Bosquê planejava uma outra forma de aproveitar aquela área central da cidade, inclusive com a instalação de um novo terminal rodoviário.
 

Mais Variedades