Edição: 12006 Data: 23/05/2017

Variedades -

Semana de 8 a 14 de abril de 1977

08/04/2017

Iniciamos agora o nosso mergulho semanal no Túnel do Tempo, relembrando os principais acontecimentos ocorridos em nossa cidade, na semana de 8 a 14 de abril de 1977, há 40 anos, graças a pesquisas efetuadas nos arquivos de “Comarca de Garça”.
O prefeito Francisco de Assis Bosquê resolvia aceitar a sugestão do vereador Carlos Roberto de Oliveira, de prorrogar o horário de funcionamento do Bosque Municipal até a meia noite. Mas o prefeito fazia uma ressalva: esse horário especial seria adotado apenas no período de verão, quando a frequência ao bosque aumentava consideravelmente.
Já o vereador Luiz Bottino Junior apresentava projeto de lei revogando legislação municipal de 1963, que proibia o funcionamento de alto-falantes fixos ou móveis no perímetro urbano. Enfatizava o vereador que em plena era da comunicação, o serviço de alto-falantes ainda era um meio útil de se divulgar mensagens comerciais a curto prazo, explorando o imediatismo que alguns tipos de negócios exigiam.
Com a retirada do pontilhão, que durante mais de 30 anos sustentou os trilhos ferroviários no início da Rua Barão do Rio Branco (hoje Alameda Mathias Manchini), a Prefeitura iniciava um projeto de urbanização do local. A depressão, que se formava no leito da rua, ligando a Praça José A. de Carvalho com o início da Rua Barão do Rio Branco, seria nivelada, evitando-se o acúmulo de água nos dias de chuva e que causavam grandes transtornos aos veículos e pedestres, devido a falta de escoamento. O prefeito pretendia reservar o terreno ao lado, nos fundos de várias residências da Rua Paulista (atual Manoel Joaquim Fernandes), para a construção de prédio destinado à Câmara Municipal. Depois, o terreno acabou sendo permutado com a Caixa Econômica Estadual, que ali edificou sua filial, depois cedida ao Banco do Brasil.
O presidente do Instituto Brasileiro de Café, Camilo Calazans, visitava a cidade, pela segunda vez, no dia 23 de abril para participar dos festejos comemorativos do 15.º aniversário da Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Garça.
Na manhã de 10 de abril, um domingo de Páscoa, acontecia a inauguração do prédio próprio do jornal Comarca de Garça, na Rua Cel. Joaquim Piza, 254. A fita inaugural foi desatada pelo vice-prefeito Ary Marino Filho e pelo presidente da Câmara Municipal, José Carlos de Oliveira Lima. Após a saudação do diretor do jornal, Antônio Augusto Ávila Castro às autoridades e aos convidados, foi descerrado o retrato do ex-diretor, Augusto do Nascimento Castro pela diretora Antônia Ávila Castro e inaugurada a placa das oficinas gráficas que tinha como patrono Silvestre Alves Portellinha, responsável pelas obras do novo edifício. O prédio foi projetado pelo arquiteto Shigueiro Kudo e era o único em toda a região, destinado exclusivamente para receber uma empresa jornalística.
Após uma longa discussão em sessão que durou 5h30, Câmara Municipal aprovava, no dia 11 de abril, projeto de lei do prefeito autorizando-o a permutar uma área na Faixa de Integração com a Companhia Imobiliária Clipper, recebendo o município quatro conjuntos de salas. Após intensos debates, o projeto foi aprovado por 11 votos a 2. Apenas os vereadores Jathyr Mafud e Luiz Carlos Belline foram contrários ao projeto, por julgarem falho, principalmente na caracterização do interesse público para efetuar-se a permuta e falta de avaliação dos conjuntos comerciais.
Um grupo de amigos organizavam para o dia 23 de abril, uma homenagem a Juracy Cestari, ex-gerente do Banco do Brasil, pelos relevantes serviços prestados à coletividade. Uma comissão esteva encarregada de coletar adesões, formada por Pedro Valentim Fernandes) pelo setor da indústria), Luiz Carlos Belline (comércio), Jaime Nogueira Miranda (agricultura) e Jathyr Mafud (profissionais liberais).
Lúcia Elizabeth Rabelo, de Lupércio estudante de Direito em Marília, foi a única mulher a eleger-se vereadora em toda a Comarca de Garça no pleito de 15 de novembro. Lúcia conseguia ainda outro feito inédito, ao eleger-se presidente da Câmara Municipal de Lupércio. 
Sem muita discussão, Câmara Municipal aprovava no dia 4 de abril, projeto de resolução de iniciativa do vereador João Alexandre Colombani, alterando o horário de início das sessões ordinárias para às 20h30 ao invés das 20h00, como vinha sendo observado desde o ano de 1948. O motivo da mudança do horário, foi para possibilitar a transmissão radiofônica integral das sessões. Antes a emissora encarregada desse serviço, começava a transmissão às 20h30, uma vez que era obrigada a integrar-se à rede do “Projeto Minerva” entre 20h00 e 20h30. Tratava-se de um programa do Governo Federal voltado para a alfabetização de adultos.
O dr. João Benedito Azevedo Marques, presidente da Fundação Estadual do Menor - FEBEM, visitava a cidade no dia 14 de abril, atendendo a convite do prefeito Francisco de Assis Bosquê. O objetivo do prefeito era sensibilizar o ilustre visitante a instalar uma unidade regional da FEBEM em nosso município.
Demonstrando que o segurado também tinha parcela de culpa na formação de filas para a retirada de guias para consultas médicas, a agência local do INPS divulgava quadro de atendimento de assistência durante os três primeiros meses do ano, quando foram expedidas 14.313 consultas, sendo que 13.394 foram efetivamente utilizadas pelos beneficiários. Nestes 90 dias retiraram guias e não compareceram aos consultórios médicos, 923 pessoas. Somente em março haviam sido expedidas 5.121 guias e utilizadas 4.726. Deixaram de serem usadas 395 guias. Destacava o INPS que o teto mensal de cada médico, para consultas, era de 250, através do processo de livre escolha por parte do segurado. Foram realizados ainda durante o primeiro trimestre do ano, 3.429 exames especializados em laboratórios de análises e 1.333 exames radiográficos, 241 eletrocardiogramas, 250 internações cirúrgicas, 209 internações obstétricas e 1.138 internações em clínicas médicas, uma média de 13 por dia.

Mais Variedades