Edição: 12029 Data: 24/06/2017

Variedades -

Semana de 22 a 28 de abril de 1977

21/04/2017

Há 40 anos, a Subseção de Garça da Ordem dos Advogados do Brasil resolveu se posicionar a respeito do acúmulo de serviço na única vara judicial existente na cidade. E decidiu solicitar ao Tribunal de Justiça a nomeação de um juiz substituto, para auxiliar o titular, Dr. Carlos Aurélio Mota de Souza (foto) que respondia ainda pela jurisdição de mais quatro municípios da região.
Iniciamos agora o nosso mergulho semanal no Túnel do Tempo, relembrando os principais acontecimentos ocorridos em nossa cidade, na semana de 22 a 28 de abril de 1977, há 40 anos, graças a pesquisas efetuadas nos arquivos de “Comarca de Garça”.
O contingenciamento do café para o consumo interno somente será adotado pelo IBC, caso os cafeicultores brasileiros não atendam às determinações do instituto, de fornecer o produto ao preço fixo de dois mil cruzeiros a saca para o consumo interno, a partir de julho, quando deixar de existir o subsídio atual. A informação era prestada pelo presidente do Instituto Brasileiro do Café, Camilo Calazans Magalhães, em visita a Garça no dia 23 de abril, para participar das solenidades em comemoração ao 15º aniversário da Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Garça.
Com o primeiro passeio a pé, contando com a participação de autoridades e o povo em geral, a municipalidade dava início às 7h30 do dia 1º de maio, aos festejos comemorativos do 48º aniversário da cidade. A caminhada teria início na Praça Rui Barbosa dirigindo-se até o Estádio Municipal Frederico Platzeck. Seriam conferidos diplomas aos participantes ao mais novo e ao mais velho.
O programa das festas previa ainda o seguinte: dia 1º de maio, abertura do Torneio Taça Cidade de Garça, promovido pelo Lions Clube; 19h30, festival de danças e bailados típicos orientais pelos membros da Colônia Japonesa no Kai-Kan; 20 horas, retreta pela Corporação Musical na Praça Rui Barbosa; dia 2, lançamento de selos postais a cargo do Clube Filatélico às 8h30, no Rotary Clube; dia 3, teatro de fantoches às 20 horas, na Praça Rui Barbosa; dia 4, às 20 horas, recital de piano, violão e harmônica pelos alunos da Escola Santo Antônio, na Praça Rui Barbosa; dia 5, alvorada pela Corporação Musical às 6 horas, hasteamento do pavilhão nacional na Praça Rui Barbosa, desfile cívico às 8h30, futebol às 15 horas no Estádio Municipal e às 19 horas, missa solene no Santuário de Vila Araceli; dia 7, apresentação de aeromodelismo às 9 horas e festival sertanejo, às 20 horas com Tonico e Tinoco, Craveiro e Cravinho, César e Paulinho e Paranaense e Paraguai.
Por sugestão do prefeito Francisco de Assis Bosquê, a Delegacia de Ensino de Garça realizaria um concurso entre alunos do primeiro grau, visando a escolher uma criança que simbolicamente administraria a cidade por uma semana. A promoção deveria acontecer em outubro, durante a Semana da Criança.
O prefeito Assis Bosquê era procurado por representantes da Empresa de Ônibus Brambila, que fazia a linha Garça-Marília, que manifestaram a intenção de instalar sua agência e ponto de embarque e desembarque fora da Estação Rodoviária, que não apresentava condições ideais de funcionamento. Após examinar se existia lei municipal regulamentando o assunto, o prefeito emitiria sua opinião sobre a solicitação.
Procurando colher subsídios para assegurar a pavimentação da estrada Garça-Álvaro de Carvalho, o prefeito Francisco de Assis Bosquê mantinha contato com o engenheiro Arthur Luciano de Oliveira, diretor regional do Departamento de Estradas de Rodagem. Após expor o seu plano de oferecer 30 mil sacas de cimento, a desapropriação da faixa de terras para a ampliação das pistas, a maquinaria das prefeituras de Garça e Álvaro e ainda 5 milhões de cruzeiros, o prefeito recebia do diretor do DER a manifestação de que se tratava de um projeto plenamente exequível e que certamente contaria com a aprovação do governador. “Com toda essa ajuda, o DER pavimenta a estrada”, exclamou o Dr. Arthur Luciano.
Liderado pela subseção de Garça da Ordem dos Advogados do Brasil, seria iniciado um movimento visando a reivindicar a designação de um juiz substituto para auxiliar o titular da Comarca de Garça, Dr. Carlos Aurélio Mota de Souza nos serviços forenses. Com um grande número de feitos e com cinco municípios sob sua jurisdição, tornava-se impossível a apenas um juiz atender a todo expediente do Fórum.
Durante o mês de março, o Cartório de Registro Civil expedia 102 certidões de nascimentos, 37 de óbitos e 18 de casamentos. A taxa de natalidade, há 40 anos, era bem elevada em nosso município.
A primeira audiência do prefeito Francisco de Assis Bosquê, com o governador Paulo Egydio Martins, estava marcada para fins de abril. Entretanto, como coincidia com os preparativos para as festividades do 15º aniversário da Cooperativa dos Cafeicultores, o prefeito achou conveniente transferi-la para uma outra data, pois era seu pensamento levar ao encontro com o governador, o maior número possível de autoridades municipais e representantes de entidades de classe. A princípio a audiência estava designada para o dia 10 de junho, mas em sua próxima viagem a São Paulo, o prefeito confirmaria todos os detalhes da reunião, inclusive a data. O ponto alto dessa audiência seria a apresentação da reivindicação visando a pavimentação da estrada Garça-Álvaro de Carvalho, que contava com o aval do DER.
No dia 28 de abril, às 20 horas, na Igreja Matriz de São Pedro, seria celebrada missa em ação de graças pelas Bodas de Ouro do casal Emília e José Alves Moreira, funcionário da Prefeitura Municipal, responsável pelo setor de parques e jardins.
A Rede Globo de Televisão, através de sua filial em Bauru, atendendo à solicitação do prefeito Assis Bosquê e do Conselho Municipal de Turismo, iniciava na manhã de 28 de abril, as filmagens de vários aspectos da cidade, para ilustrar reportagem sobre o aniversário de Garça. As tomadas iniciais foram feitas na Praça Rui Barbosa.
Uma entidade abrangendo no máximo 10 municípios deveria surgir em nossa região para defender os interesses coletivos das administrações municipais. No mesmo esquema da antiga UPAP – União dos Prefeitos da Alta Paulista, que no início atendeu seus objetivos, sendo posteriormente ampliada para outras regiões sob a denominação de AMCOP – Associação dos Municípios do Centro Oeste Paulista. Segundo informações colhidas junto aos prefeitos da região, a nova entidade não vinha atendendo a suas finalidades. Daí o prefeito garcense Francisco de Assis Bosquê ter iniciado contatos com outros chefes de Executivo da Microrregião de Garça, como Theobaldo de Oliveira Lyrio, de Marília, lançando a ideia da fundação de uma nova entidade municipalista mais enxuta e com maior poder de mobilização.
Às 18 horas do dia 24 de abril, um domingo, saía da Matriz de São Pedro, solene procissão para trasladar a imagem de São Geraldo para a capela que seria erguida em seu louvor na Vila Mariana. Após a cerimônia litúrgica seria realizada uma quermesse animada pela banda garcense Líder Som.
 

Mais Variedades