Edição: 11950 Data: 24/02/2017

Variedades - Túnel do Tempo

Semana de 18 a 24 de fevereiro de 1977

18/02/2017

Iniciamos agora o nosso mergulho semanal no Túnel do Tempo, relembrando os principais acontecimentos ocorridos em nossa cidade, na semana de 18 a 24 de fevereiro de 1977, há 40 anos, graças a pesquisas efetuadas nos arquivos de “Comarca de Garça”.
Pela terceira vez consecutiva, a revista “Dirigente Municipal” publicava a relação dos 500 municípios mais desenvolvidos do país, baseado em dados referentes ao exercício de 1975. Para proceder à classificação dos municípios brasileiros, analisando o seu desenvolvimento econômico e social, a revista utilizava-se de dez indicadores agrupados em três setores: arrecadação do ICM; receitas municipal e federal geradas pelo município; infraestrutura de serviços públicos e indicadores sociais. Garça, em 1975, havia ficado em 47ª lugar, e em 1976 caía para a 85ª colocação. Apesar de ter caído bastante na classificação geral, Garça ainda ficou à frente de pujantes municípios como Brusque, Volta Redonda, Blumenau e Taubaté.
Os bailes populares que aconteciam tradicionalmente no carnaval garcense, deixariam de acontecer em 1977. O prefeito Francisco de Assis Bosquê chegava à conclusão de que as elevadas despesas para a sua realização e a baixa frequência que esse tipo de evento vinha apresentando nos últimos anos, não deveriam justificar novos investimentos no setor. Por este motivo o prefeito julgou melhor aplicar os pequenos recursos disponíveis no carnaval de rua, onde o desfile de três escolas de samba já estava garantido.
A partir do dia 20 de fevereiro, a Corporação Musical Santa Cecília dividiria suas apresentações dominicais em dois locais distintos: a primeira, com início às 19h30 até às 20h15, na Praça Pedro de Toledo; e a segunda, das 20h15 até às 21 horas, na Praça Rui Barbosa. Isto porque defronte à igreja Matriz, a banda não podia tocar antes das 20 horas, fazendo com que o público, e em especial as crianças, ficassem esperando o término da missa, para ouvir as alegres marchinhas executadas pelos músicos, sob o comando do maestro Geraldo Omédio Moysés.
O técnico Valter Zaparoli, que fez o seu batismo de fogo na primeira divisão na temporada de 1976 dirigindo o Garça Futebol Clube, seria reconduzido ao cargo. Estava tudo certo com a diretoria do Azulão para a assinatura de novo contrato, com vigência até dezembro de 1977.
Prefeitura projetava o lançamento de licitação visando a contratação de empresa interessada na realização de limpeza e capinação de vias públicas não pavimentadas. A empresa deveria colocar pelo menos 30 homens na execução desses trabalhos por prazo nunca inferior a 30 dias. Com essa medida, o prefeito Francisco de Assis Bosquê cumpria mais uma promessa de campanha, que era a de virar as costas para o centro da cidade e dedicar mais atenção aos bairros, com a contratação de empresa que empreenderia um autêntico mutirão de limpeza na periferia da cidade.
O Clube Filatélico de Garça concluía a composição da sua diretoria para o biênio 1977-78, que ficava assim formada: Presidente – Wagner Zanini Passos; Vice-Presidente – Luiz Francisco Casale; 1º Secretário – Nivaldo de Moraes; 2º Secretário – Edson Roberto Alcalde; 1º Tesoureiro- Yoshiro Yamamoto; 2º Tesoureiro – Paulo Kolle; Provedora – Elzira Correa Leite de Moraes; Diretor Social – Nilson Bastos Bento; Diretor do Departamento Juvenil – Ozias Rodrigues Martins; Conselho Fiscal – José Inércio Sitta, Luiz Krusicki, Clésio Garavaso, Carlos Coraza, Alvacy Barbosa Martins, Fábio Mônico Sitta e Antônio Segura Molina.
Fepasa – Ferrovia Paulista S/A, após algumas alterações nos horários de seus trens de longo percurso, confirmava que nossa cidade continuaria sendo servida por quatro horários. Os trens partiriam de Garça para São Paulo às 4h55, 10 horas, 12h38 e 21h50. De São Paulo para Garça os trens sairiam da Estação da Luz às 9h25, 12h05, 17 horas e 23 horas.
A equipe do Corinthians Paulista jogaria no dia 27 de fevereiro em Marília, pelo Campeonato Paulista da Divisão Especial. O proprietário do Garça Hotel, o esportista Gonçalo Vadenal estava aguardando a confirmação das reservas, possibilitando que a delegação corintiana pernoitasse em Garça, a espera do grande confronto com o MAC. Mesmo desfalcada dos jogadores que estavam servindo à seleção brasileira, como Jairo, Givanildo, Vladimir e Zé Maria, o alvinegro paulistano constituía-se numa grande atração para o público da região.
Em plena noite de segunda-feira de carnaval, Câmara Municipal realizava sua sessão ordinária semanal, contando com o comparecimento de todos os vereadores. Além de seis discursos abordando vários aspectos da administração pública, os vereadores apresentaram nove proposituras. O trabalho da nova Câmara não sofria interrupção nem mesmo durante o carnaval.
Com 90 integrantes e muita animação, a escola de samba do Grêmio Teatral Leopoldo Fróes, conquistava pela segunda vez consecutiva, o título de campeã do carnaval de rua de 1977. A escola de samba do Salgueiro, ficou em segundo lugar e a Unidos do Morro, de Vila Rebelo, em terceiro. O júri formado pelo Conselho Municipal de Turismo, sob a direção de Carlos Abel de Carvalho, foi formado por Luiz Carlos Piazentin, Luiz Bottino Junior, Mônica Ribas Silva, Maria Inês Scurachio Sales e Sandra Alves Bertolucci.
Nos salões, o carnaval de 1977 também foi dos mais animados; o Grêmio Leopoldo Fróes realizava o seu tradicional concurso de fantasias, que apresentou o seguinte resultado nos bailes noturnos: Fantasias femininas – 1º - Rainha da Montaria (Morgana de Marchi); 2º - Salve a Bahia (Rosa Maria Roveri); Blocos – Ciganas Sofisticadas (Sônia e Célia Regina Peres); Blocos: 1º - Garotas do Bataclan (Jane Alves, Maria Emília, Maria Aparecida, Ângela Maria e Ana Lúcia); 2º - Odaliscas (Márcia, Wilson, Lúcia. Walter, Maria Lúcia, Jair, Maria José e Gervásio); 3º - Personagens Imortais (Italino José, José Luiz e Wanderley Gilberto); 4º - Viva a Rumba (Neide de Marchi, Aldo de Marchi, Jaime Garcia, Neuza Garcia, Roberto Garcia, Maria Amélia de Marchi, Adalberto Teixeira e Elizete Alcalde).
Nos bailes infantis os vencedores no Grêmio foram: Fantasias masculinas: 1º - Guerreiro (Aldo de Marchi Junior); 2º - Pirata (Décio Carvalho Moreira); Fantasias femininas: 1º - Baiana Sofisticada (Eliana Fróes); Dama Antiga (Ellen Ramalho Sganzela); 3 º - Baiana (Vânia Regina Minardi); 4º - Isis (Mirian Sganzela Leite de Moraes); Duplas: 1º - Assim é a Primavera (Ângela e Ana Travençolo); 2º - Havaianas (Maria Flora e Maria Fernanda Carapelo).
Jornal Comarca reclamava o atraso na entrega de correspondências pelo Correio. Uma carta postada em São Paulo estava demorando de 15 a 20 dias para chegar ao seu destino em Garça. Quarenta anos depois a situação continua quase a mesma.